curso o retrato, a ancestralidade, a memória e o selfie com Fifi Tong

encontros 04
data das aulas 06, 13, 20, 27 de outubro
dia da semana terças-feiras
horário 18h às 20h
valores Curso integral: R$ 400
Curso integral - estudante: R$ 215
Limpar
O primeiro retrato da história da fotografia foi um autorretrato de Robert Cornelius, feito em 1839, um ano após a invenção da Fotografia. Desde então, o mundo se encantou com a possibilidade de se ver nas próprias imagens. Para que serve o retrato? Autoconhecimento? Vaidade? Poder? Podemos dizer que tudo isso.
O retrato nos dá pistas para entender a nossa ancestralidade, nossa cultura e a sociedade em que vivemos. Ele nos conecta com o passado, com o presente e com a nossa própria história. Ele permite compartilhar memórias de uma geração para outra. Qual é a intenção do fotógrafo quando coloca diante de si uma pessoa?
Quer imprimir o que ele vê, o que acha que ele vê? Como o fotografado se coloca diante da câmera?
O curso traça um panorama da história do retrato, desde as primeiras carte-de-viste, os retratos tipológicos de August Sander, os retratos de estúdio de Assis Horta, Seydou Keita e Irving Penn, passando pelos trabalhos de importantes fotógrafas como Diane Arbus, Mary Ellen Mark e Annie Leibowitz. Serão analisados os retratos de família de Thomas Struth e Nicholas Nixon e os autorretratos, desde Vivian Maier, Cindy Sherman e Francesca Woodman, até as selfies contemporâneas.

 

Fifi Tong
Fifi Tong é fotografa há 35 anos. Aos 18 anos, ingressou no Art Center College of Design, em
Pasadena, Califórnia, onde se graduou com o título de B.F.A
em fotografia. No começo da carreira, atuou em agencias de publicidade, como na DPZ e W/Brasil. Publicou o livro ORIGEM – Retratos de Famílias no Brasil, com exposição homônima no Memorial do Imigrante, em São Paulo. Atualmente se dedica aos trabalhos autorais, sempre fazendo retratos.