cursos

Introdução ao desenho oficina de Desenho com Dudi Maia Rosa

O desenho de observação é o ponto de partida para o desenvolvimento da percepção visual e discussão de questões ligadas à arte contemporânea. Serão realizadas aulas com modelo vivo e outros exercícios para incitar o debate com os participantes.

Dudi Maia Rosa nasceu em São Paulo em 1946. Sua formação inicial foi relacionada ao artista Wesley Duke Lee e ao contexto da escola de arte Escola Brasil: na década de 1970. Tal experiência iniciou sua intensa atividade didática como professor de desenho, aquarela e pintura nas décadas seguintes. Dudi ensinou na Escola Brasil, em seu ateliê e em instituições como SESC, Museu de Arte Moderna de São Paulo e Instituto Tomie Ohtake.

Dudi Maia Rosa fez sua primeira exposição individual em 1978 no MASP, apresentando pinturas e esculturas. Seu trabalho começou a se destacar na arte brasileira a partir do início dos anos 1980, quando o artista inaugurou procedimentos pioneiros para questionar a pintura a partir do uso de diferentes suportes e materiais que permaneceram, até hoje, como marcas registradas de sua obra.

Continuou sua atividade docente com diversas oficinas, como o Festival de Artes Plásticas em Governador Celso Ramos, o Curso de trainees da Folha de S.Paulo e o Festival de Inverno de Serrinha (Bragança Paulista - SP). Ele também foi jurado no Edital de Oficinas Livres no Centro Cultural São Paulo e no XXIV e XXXI Salão de Arte em Ribeirão Preto. [2]

Realizou exposições individuais em São Paulo e no Rio de Janeiro e participou de diversas exposições nacionais e internacionais, como o Panorama da Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, em 1973, 1986, 1989, 1993; nas edições de 1987 e 1994 da Bienal de Arte de São Paulo; na Bienal de Joanesburgo, África do Sul, em 1995; na Mostra do Redescobrimento: Brasil 500 Anos, no Pavilhão da Bienal de São Paulo em 2000; e recentemente em 2005, na V Bienal do Mercosul em Porto Alegre.

As principais exposições individuais foram "Eu Sou um Outro" em 2008 no Instituto Tomie Ohtake e "Plásticos" na Galeria Millan em 2009.

Uma de suas mais recentes séries, "Cábulas", foi apresentada na Galeria Millan, em 2012, seguida pelo Centro Universitário Maria Antônia, em São Paulo, e pelo Instituto Figueiredo Ferraz, em Ribeirão Preto, em 2013. Muitas de suas obras pertencem a importantes coleções de arte como a Pinacoteca do Estado de São Paulo, o MASP, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Museu de Arte Moderna de São Paulo, a Coleção Itaú e o Museu Stedelijk (Amsterdã, Holanda). Em 2016, ele apresentou uma exposição individual na Galeria Millan, intitulada "VRIDO" e composta por cerca de 50 novas obras de resina de poliéster pigmentada e fibra de vidro.

12 encontros | 19h30-21h30 | quintas-feiras


14, 21 e 28 de março + 04, 11, e 25 de abril + 02, 09, 16, 23 e 30 de maio + 06 de junho.
R$ 2200 4x R$ 550
+ informações